TRATAMENTO DA ALOPECIA ANDROGENÉTICA COM MINOXIDIL. Sobre o couro cabeludo seco ou molhado? O erro na escolha pode mudar os resultados!

  O ativo farmacêutico de uso tópico mais utilizado do mundo para o tratamento da alopecia androgenética e outras causas de queda capilar é o minoxidil. Nos Estados Unidos, este é o único ativo de uso tópico aprovado pelo FDA (Food and Drug Administration, órgão que regulamenta o uso de medicamentos por lá) para o tratamento da calvície. No Brasil, ele divide espaço com o 17-alfa-estradiol, mas certamente com total predominância sobre este. Com propriedades interessantes para estímulo do crescimento capilar, como mitogênico celular (acelera a velocidade de replicação das células), vasodilatador (aumenta o calibre dos vasos na região, favorecendo o fluxo sanguíneo e consequentemente “nutrição” folicular) e estimulador do início da fase de crescimento do ciclo capilar (induz a atividade de folículos pilosos quenógenos, ou seja, aqueles que após a queda de um cabelo seguem vazios, sem atividade), o minoxidil é vastamente comercializado nas farmácias e drogarias. As formas industrializadas de referência nos Estados Unidos, Rogaine® (2 ou 5%) ou Aloxidil®, no Brasil, são provavelmente menos vendidas do que as manipuladas, devido ao menor custo destas últimas. Apesar de não necessitar de receita médica para a sua venda e dispensação, é interessante que não seja utilizado de forma indiscriminada e sem prévio diagnóstico médico. Seu uso está associado à possibilidade de efeitos colaterais, como dermatite de contato, coceira, irritação, ardência, entre outros. Além do que, minoxidil não resolve todos os problemas capilares e nem para os quais é indicado seu uso isolado é plenamente eficaz. Leia mais sobre o minoxidil neste texto (clique aqui e aqui) do Dr Ademir Jr.
  A loção capilar contendo minoxidil deve ser aplicada topicamente, todos os dias, uma a duas vezes ao dia. Muitos prescritores indicam a aplicação após o banho, com o couro cabeludo úmido. Outros sugerem secar o couro cabeludo para melhor performance do produtos. Não há consenso sobre a melhor condição para a aplicação da loção contendo minoxidil, ou melhor, não havia.
  Um grupo de pesquisadores brasileiros, sob orientação da professora, pesquisadora e farmacêutica Taís Gratieri, avaliou in vitro a permeação e penetração folicular do minoxidil em pele de camundongo e porco seca ou úmida. A hipótese testada pelos pesquisadores era a de que a pele úmida favoreceria a permeação/penetração do minoxidil por dois motivos:
  1 – A difusão do minoxidil e a consequente deposição deste dentro do folículo pode ser favorecida quanto o óstio folicular (abertura do folículo da superfície do couro cabeludo) está úmido;
  2 – A umidade pode evitar a cristalização do minoxidil, favorecendo a penetração folicular.
A penetração folicular do minoxidil foi avaliada após 30, 60 ou 120 minutos da aplicação da loção capilar contendo 5% deste ativo. Os resultados demonstraram que, usando pele de camundongos, o acúmulo de minoxidil no interior dos folículos foi 5 vezes maior quando a pele estava úmida; enquanto na pele de porco o aumento foi de 8 vezes. Conclusão dos autores, com bases nos experimentos realizados, é de que mais estudos in vitro e in vivo são necessários para que orientações técnicas precisas sobre a melhor forma de aplicação sejam incluídas nas bulas deste medicamento.

Referências: Angelo et al. Dermatologic Therapy, v. 29, 2016, 330-33.

Professora Tatiele Katzer
Farmacêutica (CRF-RS 14858)
Doutoranda em Nanotecnologia Farmacêutica (UFSM)
Pós-graduanda em Farmácia Estética
Mestre em Ciências Farmacêuticas (UFRGS)
Docente do Curso de Estética e Cosmética da UNISC (RS)
Docente de pós-graduações nas áreas de Pele, Cosmetologia e Tricologia
SHARE

  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
    Comentários Blogger
    Comentarios Facebook