O MAR DAS PINTURAS JAPONESAS E AS QUEDAS CAPILARES

Sou um admirador da arte oriental. Há dois artisas japoneses que são de minha preferência, Hiroshige e Hokusai. Já fiz dois posts sobre um trabalho de Hiroshige que tenho em minha sala de atendimento, Quem quiser ler os posts é só clicar nos links abaixo:



De artistas japoneses gosto também das obras que mostram o mar. 
Não sou um grande frequentador do litoral. Mas gosto de contemplar o mar e suas ondas quando vou à praia. Admiro a formação das marés e a forma como elementos da natureza têm poder sobre as águas dos oceanos criando correntezas e seu contínuo movimento que ora é sutil, ora é de grande intensidade.   
Esses movimentos foram sempre muito bem percebidos e ilustrados pelos artistas japoneses. A obra mais conhecida que demonstra a força das águas do mar é A Grande onda de Kanagawa de Katsushika Hokusai. Um mar agitado que parece querer engolir navegadores que se atrevem a atravessa-lo. Na obra é quase perceptível a angústia daqueles que resolvem enfrentar esse mar agitado. Não se pode ver a face dos navegadores, mas temo por eles só de pensar na cena que, para mim é angustiante. Angustiante ao mesmo tempo que é de uma beleza incrível. A Grande onda de Kanagawa é uma das obras mais populares da arte oriental. 
Quando me deparo com a imagem da onda de Kanagawa reflito sobre o mar com seus altos e baixos. Impossível não fazer um paralelo com a realidade de nossas vidas. Pouco do que vivemos é permanente. E essa impermanência, esse movimento contínuo de altos e baixos nos enisna muito. 
Em meus atendimentos tenho concluido cada vez mais que, por mais cheio de sucesso que um tratamento capilar possa evoluir, haverá sempre oscilações que acontecerão ao longo do curso do mesmo. E, certamente, essas oscilações, como aparecem no gráfico abaixo, sãao resultado dos nossos altos e baixos da vida que se refletem nos cabelos. Períodos de mais ou menos sono, períodos de mais ou menos estresse, períodos de modificcação dietética, infecções, uso de medicamentos, cirurgias, procedimentos dentários, tudo isso pode influenciar na forma como nosso cabelo se comporta e, consequentemente, fazer com que o curso de um tratamento capilar evolua com oscilações, tais como as ondas do mar. 

A relação médico-paciente, nessas horas, tem que estar fortalecida para que o entendimento dos motivos que levam o quadro a oscilar possam ser devidamente identificados e, quando possível, corrigidos. Médico e paciente tem que atuar como os navegadores da grande onda de Kanagawa para passar pelas tormentas mais importante que podem surgir com o seguimento do tratamento e buscar mares mais calmos. Sem nunca deixar de atentar para novos períodos de oscilação que deverão ser avaliados e reconduzidos a momentos de calmaria. 
A inspiração na arte é algo que sempre me faz refletir sobre como conduzir o tramento de meus pacientes. Impossível não fazer um paralelo entre a arte e a vida sem tirar grandes aprendizados. 

SHARE

  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
    Comentários Blogger
    Comentarios Facebook