UM EXAME QUE AJUDA A DIAGNOSTICAR E AVALIAR A EVOLUÇÃO DOS QUADROS DE CALVÍCIE - TRICHOSCAN

Por muitos anos tenho trabalhado com  diversas formas de avaliar a queda capilar e diagnosticar meus pacientes. Alguns métodos de avaliação são relativamente simples e suficientes para um bom entendimento das causas e para o acompanhamento dos tratamentos de problemas capilares. 
Quem já teve a oportunidade de ler sobre esses exames aqui mesmo no blog poderá entender melhor como eles funcionam e como podem ajudar o profissional a entender melhor o quadro de seus pacientes no post: Exames utilizados em tricologia para avaliação das quedas capilares
Desde 2010 tenho trabalhado com um exame chamado TRICHOSCAN. Um método de avaliação validado internacionalmente que permite conhecer três informações que considero importantíssimas numa consulta médica capilar: número de fios por área (densidade dos cabelos), percentual de cabelos em fase de crescimento ou em fase de queda e, por fim, razão entre o número de cabelos finos e cabelos grossos. 
Pode parecer que estes três critérios não sejam tão importantes para o leigo, mas hoje temos algumas informações na literatura médica que contribuem para atestar o quanto esses dados podem nos ajudar a entender a gravidade dos casos de calvície e a acompanhar o sucesso dos tratamentos. 
Quando a densidade é baixa, isso por sí só já é um fator que comprova a rarefação dos cabelos. A melhora da densidade após algum tempo de tratamento é um critério importante no entendimento sobre o sucesso do tratamento. 
Quando temos mais de 80% dos cabelos na fase de crescimento e menos de 20% dos cabelo na fase de queda, a literatura é clara em dizer que há um padrão de queda normal para os cabelos dos pacientes. Mas quando os fios em fase de queda aumentam para mais de 20% com consequente redução dos cabelos em fase de crescimento, certamente a queda de cabelos deixa de ser normal para ser algo que exige atenção e cuidado especial. 
Se o número de cabelos finos está acima do que é considerado normal em proporção aos cabelos grossos, pode estar havendo miniaturização capilar, uma situação que fala da gravidade do processo de calvície na medida que esses cabelos finos vão ficando cada vez mais numerosos. 
Por muito tempo realizei o Trichoscan de rotina para meus pacientes. Por um tempo deixei ele de lado encantado com as possibilidades diagnósticas da Tricoscopia, outro exame importantíssimo no atendimento em tricologia, e que é de rotina em todos os meus encontros com pacientes. Recentemente voltei a valorizar o Trichoscan, não apenas por ser uma ferramente valiosa, como já descrito acima, mas também por seu um método que consegue fazer uma análise daqueles casos considerados limítrofes, quando a falta de precisão da tricoscopia em oferecer dados numericamente precisos, impedem o reconhecimento de pequenos detalhes que podem confundir o diagnóstico. Nesses casos, o Trichoscan realmente se mostra superior. 

Referências:
López V et al. Usefulness of TrichoScan professional in the evaluation of hair loss in females. Report of 180 cases. JEADV 2011, 25, 1068–1072.
Uce Özkol H, et al. Is TrichoScan a new diagnostic method for diffuse hair loss? Turk J Med Sci (2014) 44: 432-438.






SHARE

  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
    Comentários Blogger
    Comentarios Facebook