VOCÊ SABE COMO CUIDAR DAS SUAS ESCOVAS E PENTES DE CABELO?

Já passou pela sua cabeça que as escovas de cabelo precisam de uma limpeza de vez em quando? Que usamos escovas e pentes repetidas vezes é fato. Mas quem costuma higienizá-las?
Para que você veja sentido em fazer o procedimento de limpeza e desinfecção que sugiro abaixo, é importante que entenda o que justifica fazê-lo. Bem, vamos começar pensando que somos uma “colônia gigante” de microrganismos ambulantes e que, dependendo do tipo de microrganismo que a compõem, podemos viver alegres e saltitantes. Essa seria o que chamamos de microbiota natural, ou seja, o conjunto de microrganismos que coloniza a pele, a mucosa e alguns órgãos do nosso corpo, nos trazendo inclusive benefícios, sem causar doenças. Por outro lado, existe um grupo de microrganismos patogênicos que podem, uma vez em contato com o hospedeiro (o sujeito, você e eu), causar doenças (e isso depende obviamente de muitas variáveis). Para que um processo infeccioso percutâneo (através da pele) ocorra é preciso que haja alguma porta de entrada, como uma ferida ou um corte. No entanto, há doenças que são causadas por fungos e insetos (tinha do couro cabeludo e pediculose, respectivamente), cuja transmissão e contágio não dependem disso (de uma porta de entrada). Basta haver contato (e no caso da tinha do couro cabeludo algum comprometimento imunológico) com um objeto contaminado para que a condição se instale. Ou seja, escovas e pentes de cabelo são objetivos capazes de atuarem como meios de transmissão de contaminantes.
Justificado o porquê do tema de hoje, vamos em frente. Independente de serem as escovas de casa ou as do salão de beleza, a sua limpeza e manutenção segue os mesmos passos iniciais. A diferença está na frequência necessária. Em casa, você poderia fazer o passo a passo descrito abaixo semanalmente; no salão, as normas de biossegurança pedem que seja a cada uso.
Utensílios que auxiliam na retirada dos cabelos das
escovas  (à esquerda) e na limpeza de pentes
Passo a passo para limpeza e desinfecção de escovas de cabelo, pentes e objetivos relacionados (prendedores de plástico, “piranhas”, etc):
1. Remoção dos fios de cabelo (existem acessórios que facilitam esse processo, como pode ser visto na imagem à esquerda);
2. Lavagem com água + detergente e molho por 10 minutos; OBS.: Nos salões de beleza o ideal seria optar por detergentes enzimáticos, aqueles mais “potentes” que, como o próprio nome diz, contêm enzimas (proteases, amilases e lipases, por ex.) e por conta disso removem mais e melhor detritos orgânicos e sujidades quando comparados aos detergentes comuns;
3. Se necessário, proceder a limpeza mecânica das escovas e pentes com esponja ou escovinha;
4. Enxágue com água corrente;
5. Remover o excesso de umidade com um papel toalha descartável e secador de cabelos;
6. Borrifar solução de álcool 70% (pode danificar partes acrílicas ou feitas de borracha) ou outro desinfetante apropriado (por exemplo, hipoclorito de sódio em baixíssimas concentrações 0,0025 – 00,1% ou clorexidina);
7. Deixar secar em ambiente ventilado (sobre uma bancada, por exemplo) e, por fim, guardar em local fechado, limpo e seco, ou seja, dentro da sua gaveta, como de praxe, para evitar a deposição de poeira.
Agora falando das peculiaridades do salão... Diferente da sua escova de cabelos que é de uso único (ou mesmo partilhado entre os membros da família), nos salões de beleza os utensílios são utilizados uma infinidade de vezes. Profissionalmente falando, as escovas de cabelo e os pentes são de uso individual e, portanto, não deveriam ser reutilizados em outro cliente sem antes passar por um processo de limpeza e desinfecção. O processo de limpeza é o mesmo que já foi dito para ser feito em casa (descrito acima), observando-se a preferência pelo detergente enzimático. No salão de beleza ou clínica de estética que oferece o serviço de terapia capilar é comum o uso de produtos no couro cabeludo, como esfoliantes físicos e máscaras de argila, aplicados normalmente com auxílio de pente (para a separação das mechas) e pincel. Nesse caso, a limpeza física (com escovinha, por exemplo), torna-se fundamental.
Alguns estabelecimentos de beleza já contam com um higienizador de escovas (procure por esse termo no google se quiser saber a marca, é o único no Brasil). Como o próprio site do distribuidor diz, o aparelho faz a desinfecção das escovas através do “sistema de calor úmido, oferecendo eficiência, praticidade e rapidez na higienização de escovas, agregando credibilidade e respeito do público em geral para com as clínicas de estética e salões de beleza que fazem uso deste conceito”. E aqui sou obrigada a concordar.
Higienizador de escovas e pentes.
 O mais interessante é que o fabricante apresenta laudos de duas grandes universidades brasileiras, a USP e a UFSCAR, atestando a eficácia do higienizador em reduzir significativamente a carga microbiana. Dependendo do microrganismo testado, a eficácia vai de 93,1 a 99,9%, sendo que dois ciclos de desinfecção são mais eficazes do que apenas um. Como já mencionado, o equipamento funciona por calor úmido, sendo que a temperatura média durante um ciclo de higienização (que leva apenas 3 minutos) varia de 70 a 90 graus Celsius. É muito fácil. Basta higienizar as escovas e colocá-las dentro desse equipamento, adicionar água no compartimento central (um pequeno reservatório), fechar a tampa, girar o botão para ligar e 3 minutos depois o primeiro ciclo está encerrado. Como atestam os laudos da USP e UFSCAR, melhor do que um seriam dois ciclos para garantir uma diminuição ainda mais significativa na carga microbiana.
É importante deixar claro que os procedimentos descritos nesse post servem para desinfetar, ou seja, destruir os agentes infecciosos em forma vegetativa potencialmente patogênicos presentes na superfície de pentes e escovas de cabelo, mas não são capazes de destruir esporos bacterianos, extremamente resistentes a altas temperaturas, tampouco eliminar por completo os outros microorganismos mesmo que não estejam na forma de esporos. Há uma diferença muito grande entre o que se propõe aqui e um processo de esterilização. A ideia tanto deste equipamento quanto do processo que fazemos antes (o passo a passo que comentei) é prevenir a transmissão de doenças que se propagam através dos utensílios para manejo dos cabelos. Fica a dica: vale investir um tempinho na higienização dos seus pentes e escovas em casa. No salão, é obrigatório!

Referência

Ramos, Janine Maria Pereira. Biossegurança em estabelecimentos de beleza e afins. São Paulo: Atheneu, 2009. 187 p.
SHARE

  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
    Comentários Blogger
    Comentarios Facebook