O SEU COURO CABELUDO É SENSÍVEL ou “IRRITADIÇO”? Saiba como amenizar esta condição com extrato de Hamamelis


Há poucos dias o Dr. Ademir Jr me enviou o artigo que vou comentar hoje. O material foi publicado recentemente (julho de 2014) no periódico International Journal of Thichology pelo médico dermatologista Ralph Trueb, especialista em cabelos. Temos em comum, ele (Dr. Ademir Júnior) e eu, a busca constante por novos ativos cosméticos/cosmecêuticos/farmacêuticos que possam ser usados em problemas capilares. O derivado botânico utilizado no referido artigo não tem nada de novo; o interessante, no entanto, é o forte indicativo da sua eficácia em longo prazo como “calmante” do couro cabeludo com eritema persistente.
Paciente com síndrome do couro cabeludo “irritadiço”, 
antes e depois de 6 meses de tratamento com um xampu 
contendo Hamamelis virginiana. Fonte: Trueb, R., 2014.
Couro cabeludo sensível é um problema frequente na prática clínica, seja ela médica ou de outros profissionais que trabalham com terapia capilar, e muitas vezes representa um grande desafio. São muitas as possibilidades que justificam a presença de eritema (vermelhidão) difuso e persistente no couro cabeludo e este sintoma pode estar acompanhado de outros, como dor, ardência, coceira e telangectasias. Se o paciente tiver alguma patologia dermatológica nesta região, como alopecia androgenética, psoríase, dermatite seborreica e tantas outras alterações, é possível que o eritema seja decorrência da patologia, no entanto ele pode se manifestar sem nenhuma destas condições, sendo considerada uma alteração per se, embora não seja reconhecida pela comunidade científica como uma condição médica verdadeira. No artigo, o autor traz à luz uma questão muito importante relacionada ao que denomina de síndrome do couro cabeludo “irritadiço” (scalp burn-out syndrome), o estresse e a exaustão emocional como suas possíveis e prováveis causas.
 Além disso, não é raro ouvir dos pacientes que após iniciarem o uso de determinada medicação ou produto cosmético perceberam que o couro cabeludo ficou mais “irritado”. O exemplo mais comum é o minoxidil, um ativo farmacêutico utilizado como estimulador do crescimento capilar e que é veiculado normalmente em uma mistura de água, álcool e propilenoglicol, sendo que os dois últimos são irritantes potenciais e o álcool um potente agente desidratante.
A proposta do estudo foi avaliar, através de critérios subjetivos, uma possível melhora no quadro de sensibilidade/irritação do couro cabeludo após tratamento com xampu (sem o tensoativo cocoamidopropil betaína e parabenos) e tônico de uma marca específica que continham extrato de Hamamelis entre outros extratos botânicos (alecrim, cavalinha, bétula e urtiga).  1373 participantes com diagnóstico de alopecia androgenética e que utilizavam continuamente minoxidil em veículo alcoólico usaram os produtos fornecidos por 4 semanas e os resultados foram favoráveis (diminuição na irritação e boa ou ótima tolerância ao produto).
Hamamelis virginiana
O tratamento do couro cabeludo irritadiço começa por evitar a exposição do mesmo a substâncias e procedimentos nocivos, favorecendo a sua acalmia e restauração naturalmente. Além disso, a frequência de lavagem conforme o tipo de couro cabeludo é relevante, sendo que couros cabeludos oleosos devem ser lavados diariamente enquanto couros cabeludos secos não. Substâncias potencialmente irritantes, como alguns tensoativos (especialmente os aniônicos e há relatos com anfóteros, como a cocoamidopropil betaína) e fragrâncias, bem como procedimentos cosméticos, como descoloração, tintura e alisamento devem ser evitados. Pensando na acalmia desse tipo de couro cabeludo, a utilização de extratos botânicos como o de Hamamelis virginiana e Matricaria chamomilla (camomila) são de grande validade.
O extrato de Hamamelis possui forte atividade antioxidante e adstringente, diretamente relacionadas a sua composição complexa e rica (taninos, ácido gálico, catequinas, proantocianidinas, flavonoides - canferol, quercetina -, óleos essenciais - carvacrol, eugenol, hexenol), o que faz com que seja útil também para quadros de acne, psoríase, eczema, rachaduras cutâneas, produtos pós-barba e sobre picadas de insetos.
Metodologicamente, o estudo poderia ter sido melhor elaborado. No entanto, sabe o que considerei superinteressante? A proposição do autor sobre formular o produto contendo minoxidil usando como veículo o extrato de Hamamelis. Simples, economicamente viável (ainda mais quando se vislumbram os benefícios) e com muita lógica.
Referências:
Trueb, R. North American virginian witch hazel (hamamelis virginiana): based scalp care and
protection for sensitive scalp, red scalp, and scalp burn-out. International Journal of Trichology, 2014.

Conheça a Clínica do Dr Ademir C Leite Júnior - www.ademirjr.com.br
SHARE

  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
    Comentários Blogger
    Comentarios Facebook