Queda de cabelo induzida pelo stress



Queda de cabelo induzida pelo stress
15 de dezembro de 2010

Nenhum paciente fica feliz quando escuta do médico que a causa de seu problema de saúde é a ansiedade ou o estresse. Muitos acreditam que seja difícil viver sem este problema no mundo atual e não aceitam que o estresse possa, por exemplo, ser motivo de queda de cabelo.

A justificativa costuma vir acompanhada de um argumento simples dado pelos pacientes: todo mundo vive estressado hoje em dia e nem todos tem queda de cabelo. Realmente, nem todo mundo desenvolve queda de cabelo por conta do estresse, mas outros frequentemente acabam desenvolvendo gastrite, hipertensão, arritmia, distúrbios neurológicos ou psiquiátricos, alergias, doenças autoimunes, entre tantas outras condições.

Se nem todo mundo perde cabelos em situações de estresse, também afirmo que nem todo mundo fica com hipertensão arterial por conta dele. Cada indivíduo tem um ou mais pontos fracos e, na grande maioria dos casos, o ponto fraco é o que manifesta perda da saúde quando em situações estressantes.

Recentemente encontrei um ótimo artigo que justifica quimicamente o fato de que o estresse pode sim causar queda de cabelo. Eva Peters e mais um grupo de pesquisadores de universidades alemãs desenvolveram um estudo sobre a relação entre estresse e os folículos pilosos em ratos. Estudaram algo que é conhecido como inflamação neurogênica, um estado inflamatório de determinadas estruturas corporais que é mediado por substâncias químicas produzidas pelo nosso tecido nervoso e liberadas em diversos órgãos e tecidos através de nossos neurônios (células nervosas).

As substâncias químicas estudadas têm relação intrínseca com o estresse, e os animais de laboratório da pesquisa ficaram expostos ao estresse sonoro contínuo por período de 24 horas.

O resultado, medido na pele ao redor dos folículos pilosos através de diversos testes, entre eles um exame chamado imunohistoquímica, provaram que:
1- Existe uma comunicação intensa entre as terminações nervosas de nossa pele e as células de nosso sistema imune, responsáveis por estados de inflamação cutânea em situações de estresse.

2- Em situações de estresse a liberação de substâncias químicas como o NGF (fator de crescimento neural) na derme atrai células inflamatórias do nosso sistema imunológico para próximo dos folículos pilosos (raízes dos cabelos).

3- Estas células inflamatórias produzem e secretam uma grande quantidade de substâncias que estimulam a inflamação ao redor dos folículos, quadro que é chamado de inflamação neurogênica.
4- Esta sequência de eventos que leva à inflamação neurogênica estimula a apoptose celular (morte das células) em uma região do folículo piloso chamada de matriz do cabelo.

A matriz do cabelo é responsável pelo crescimento capilar. Se as células desta região morrem por conta da inflamação neurogênica fica claro que, a partir deste momento, podemos esperar que os cabelos venham a cair.

Apesar de parecer difícil de explicar (quem puder ler o estudo na íntegra certamente perceberá a complexidade do mesmo), a real conclusão a que chegaram os pesquisadores é que o estresse realmente provoca queda de cabelos.

A confirmação desta relação entre estresse e cabelo é apenas mais uma das inúmeras já publicadas sobre o tema. E pensar que ainda tem muita gente que insiste em acreditar que o estresse não interfere na saúde dos cabelos.

Referências
Peters EMJ, Handjiski B, Kuhlmei A, Hagen E, Bielas H, Braun A, Klapp BF, Paus R, Arck PC. Neurogenic inflammation in estress-induced termination of murine hair growth is promoted by nerve growth factor. American Journal of Pathology. 2004;165:259-271.
SHARE

  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
    Comentários Blogger
    Comentarios Facebook