Estudo mostra sinais de que pacientes com calvície mais avançada tem menos risco de desenvolver esquizofrenia

Um estudo publicado na revista Advanced Biomedical Research no último mês de julho (2013), concluiu que pacientes com sensibilidade aumentada aos andrógenos e graus de alopecia androgenética superior à severidade III na classificação de Hamilton-Norwood tem menos predisposição a desenvolver quadros de esquizofrenia. 
Há tempos não leio nada sobre a esquizofrenia, uma doença psiquiátrica que acomete pacientes, em sua maioria, antes dos 25 anos de idade. Em virtude dos sinais clínicos do quadro surgirem normalmente próximo ao período da vida  em que os hormônios sexuais começam a ser produzidos a associação deles com a doença foi aventada em diversos estudos que acabaram concluindo a participação de alguns deles no desencadeamento ou manutenção do quadro da esquizofrenia. 
O estudo em questão foi realizado pelo departamento de psiquiatria da faculdade de medicina da Isfahan University no Irã, e teve como características ser baseado em uma análise seccional cruzada.
Apesar de a esquizofrenia ser associada a um conjunto vasto de fatores causais, os pesquisadores tinham como interesse avaliar a influência da sensibilidade individual aos andrógenos (hormônios masculinos), e a presença de alopecia androgenética (uma das manifestações clínicas que tem como característica quadros de sensibilidade androgênica dos pacientes acometidos) em um grupo de pacientes internado na ala de psiquiatria do Noor Hospital em Isfahan .
O grupo selecionado passou por critérios de inclusão e exclusão antes da análise dos pesquisadores e foi comparado com um grupo controle de pacientes também selecionados de forma criteriosa.
Resultados de estudos prévios não constavam que pacientes com esquizofrenia tivessem níveis elevados de testosterona diferentes dos grupos controles. O mesmo ocorreu no estudo que discutimos nesse texto.
O estudo, por fim, constatou que, apesar de não haver interferência da dosagem sérica de testosterona nos grupos estudados, a sensibilidade aos androgênios, avaliada em função dos graus de alopecia baseados na classificação de Hamilton-Norwood, mostrou que pacientes com quadros de alopecia androgenética maior que II, de acordo com a classificação citada, parecem ser fatores que determinam um menor risco de manifestação de quadros de esquizofrenia.
Ou seja, o risco de desenvolvimento de alopecia de graus mais elevados parece ser um agente de proteção do paciente a essa doença psiquiátrica em especial. 

SHARE

  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
    Comentários Blogger
    Comentarios Facebook