Cabelo ruim? - O livro da aceitação dos cabelos crespos


A Editora Tanta Tinta em 2010 lançou o delicioso livro CABELO RUIM? - A HISTÓRIA DE TRÊS MENINAS APRENDENDO A SE ACEITAR, de Neusa Baptista Pinto com ilustrações de Nara Silver, já em sua 3a. edição.
Fui conhecer o livro recentemente em uma das pesquisas que fazia para esse blog.
Trata-se de um trabalho primoroso cujo objetivo é ensinar sobre a beleza das diferenças entre pessoas através de sua identidade capilar.
O livro conta a história de três amigas de classe, Tatá, Bia e Ritinha, todas com cabelos crespos, que passaram por algumas gozações de colegas de escola que diziam que as meninas tinha cabelos ruins.
A identificação entre as três meninas vai surgindo ao longo da história, assim como o reconhecimento de que podem valorizar suas belezas através dos cabelos crespos e das várias maneiras que podem usar seus penteados.
O momento mais importante do livro se dá quando uma das personagens enfrenta as gozações dos colegas afirmando que seu cabelo não é bom nem ruim, apenas diferente.
Diferente! Sim, por que não? Somos todos diferentes e expressamos formas diferentes de belezas. Não há certo nem errado, bonito ou feio, afinal, o que é bonito para uns pode não ser tão bonito para outros, e vice-versa. Mas é a diferença que nos torna únicos.
Aceitar nossa própria imagem é algo essencial para que possamos desenvolver uma atitude nova em relação à vida. Somos únicos e temos que nos orgulhar disso.
E é essa a proposta do livro CABELO RUIM? - A HISTÓRIA DE TRÊS MENINAS APRENDENDO A SE ACEITAR. A autora, Neusa Baptista Pinto, é jornalista e trabalha muito bem o conceito de amizade e mudança de postura das personagens a partir de um episódio desagradável que poderia estar ocorrendo em qualquer escola ou ambiente social que conhecemos, o do preconceito quanto a uma característica física, no caso o cabelo crespo, pixaim.
Diferente da postura de muita gente que resolve mudar sua característica física quando de frente a esse tipo de adversidade, as personagens trilham um caminho contrário passando a aceitar suas características capilares e encontrando nela uma beleza de que podem se orgulhar.
Interessante perceber que o livro integra o Projeto Pixaim, desenvolvido pela Central Única de Favelas do Mato Grosso (CUFA-MT). Projeto que visa valorizar a estética negra e que questiona os padrões de beleza instituídos pela mídia.
O Projeto Pixaim promoveu em 2010 uma ação chamada de Caravana Pixaim, que distribuiu 4.000 exemplares do livro e esteve em 30 cidades do Mato Grosso com uma peça de teatro baseada na história do livro.
O Projeto Pixaim também integra o Ponto de Cultura Pixaim, que oferece oficinas de tranças nos cabelos, confecção de bonecas negras e leitura em comunidades de baixa renda.
Um verdadeiro exemplo de como uma obra literária pode ser utilizada para incentivar a auto estima e melhorar a vida das pessoas.
Eu, pessoalmente, parabenizo a autora Neusa Baptista Pinto, a ilustradora Nara Silver, a Editora Tanta Tinta e todos os envolvidos no Projeto Pixaim e em qualquer movimento que busque a promoção da melhora da qualidade de vida das pessoas a partir da aceitação das diferenças.
Link para a aquisição do livro CABELO RUIM? na Livraria Cultura:
http://www.livrariacultura.com.br/Produto/LIVRO/CABELO-RUIM-A-HISTORIA-DE-TRES-MENINAS-APRENDENDO/22379493
OUTROS TEXTOS SOBRE CABELOS CACHEADOS:
Valente - A Princesa Merida e a volta dos Cachinhos
Cinco Dicas para os Cuidados com Cabelos Crespos de Crianças
LEIA TAMBÉM:
SHARE

  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
    Comentários Blogger
    Comentarios Facebook