Os cabelos das mulheres na menopausa


Os cabelos das mulheres na menopausa

22 de dezembro de 2012

A menopausa é um evento importante na vida da mulher no que diz respeito ao comportamento dos órgãos e sistemas do corpo. Sendo o principal causador destas mudanças, o sistema endócrino define este momento por conta de uma falência gradativa da produção de alguns dos principais hormônios femininos, por suas glândulas.
Assim como várias outras regiões que sofrem com a pausa na produção hormonal, os cabelos demonstram alterações importantes na sua qualidade e em muitos casos também em sua quantidade.
O aumento na quantidade de cabelos brancos raramente é associado à menopausa, porém pode haver um discreto incremento em virtude da ausência dos hormônios ovarianos.
Entre outras situações poderão se fazer presentes certas quedas capilares, uma vez que sabemos ser o estrógeno um dos mantenedores da boa qualidade e quantidade dos cabelos.
É natural na menopausa uma redução na produção de alguns elementos importantes para a estrutura dos fios, principalmente aqueles de origem lipídica, assim como um decréscimo na produção de sebo pelas glândulas sebáceas que ajudam na hidratação do fio e do couro cabeludo.
Queixas capilares de mulheres na menopausa costumam estar associadas aos eventos acima e podem ser descritas como aumento dos cabelos brancos, queda capilar em qualquer grau (leve, moderada ou severa) e perda da qualidade dos cabelos que poderão se mostrar menos saudáveis, secos, quebradiços e desnutridos.
Correções destes problemas normalmente passam pelas mãos do ginecologista ou do endocrinologista que tomam conta das questões hormonais, assim como do especialista em cabelos (tricologista) ou do dermatologista, estes mais ligados aos cuidados capilares.
Tricologistas ou dermatologistas irão propor medidas terapêuticas que venham a beneficiar os fios e as raízes dos cabelos através de medicamentos, e procedimentos e cosméticos que ajudam a anular os efeitos das deficiências hormonais, promovendo a volta da qualidade e a melhora das questões relacionadas à perda capilar.
Embora estes tratamentos em alguns casos sejam indicados por tempo indeterminado, valem a pena, pois a mulher que entra na menopausa irá conseguir controlar os efeitos deletérios da falta dos hormônios em sua cabeleira e manterá a autoestima elevada que, na mulher, geralmente sempre esteve associada aos cabelos.

Cabelos, hormônios e menopausa (hirsutismo e queda de cabelo em foco)
25 de abril de 2012

A definição de menopausa é a de 12 meses de ausência de menstruação após um último sangramento menstrual. A redução da produção de hormônios ovarianos e o aumento dos níveis de hormônios androgênios (masculinos) podem promover aumentos dos pelos e problemas de pele.
Hirsutismo, alopecia androgenética e atrofia da pele são manifestações comumente encontradas em mulheres na menopausa e recebem pouca atenção quando comparados com outros sinais de menopausa que tenham uma relação mais sistêmica (fogachos, redução da disposição, osteoporose, ganho de peso, entre outros).
Apesar disso, os sinais cutâneos da menopausa causam grande ansiedade e podem impactar na autoestima das pacientes em sua qualidade de vida devido a intensa relação que a mulher estabelece entre feminilidade e beleza e estética. Situação que é reforçada pela indústria cosmética e farmacêutica, que produzem e divulgam produtos para esta fase da vida da mulher.
Com o aumento da expectativa de vida e, consequentemente, um aumento na quantidade de mulheres em menopausa, a tendência destes sinais clínicos de pelos, cabelos e pele é aumentar. Os tratamentos que melhor funcionam são os que regulam a situação hormonal da menopausa e melhoram a aparência estética das pacientes. Ainda assim, existem poucos estudos sobre os tratamentos cutâneos de problemas da menopausa.
O texto acima corresponde a parte do resumo de um artigo que foi publicado na revista European Journal of Dermatology, neste mês de abril, e que visa discutir possibilidades para as manifestações cutâneas de mulheres na menopausa, em especial o hirsutismo e a alopecia.
Realmente vejo cada vez mais mulheres nesta faixa etária procurando tratamentos para estes problemas em nossa clínica, e a desorientação delas sobre eles ainda é muito grande. Porém o entendimento da questão tende a crescer, visto a própria preocupação estética crescente da população como um todo, em especial das mulheres.
Entendo que mesmo sem um amplo número de estudos (eles existem, mas não são aos milhares como já temos publicados para outros problemas femininos), a boa compreensão do médico sobre a causa dos problemas de pelos e cabelos das mulheres nesta faixa etária permite conduzir muito bem estes quadros podendo dar a eles a melhor solução que melhor lhes caiba. Lembrando que as causas desses problemas estão em sua maioria relacionadas às mudanças hormonais.
A medicina na área da dermatologia, estética e tricologia evoluiu muito, e não é mais necessário que mulheres sofram com problemas de pele, pelos e cabelos em nenhuma fase de suas vidas, inclusive na menopausa.

Refêrencias:
Blume Peytave U, et al. Skin Academy: Hair, skin, hormones and menopause - current status/knowledge on the management of hair disorders in menopausal women. Eur J Dermatol. 2012 April 16th.



SHARE

  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
    Comentários Blogger
    Comentarios Facebook