Interrupção no uso de pílula anticoncepcional e aumento da queda de cabelo

Interrupção no uso de pílula anticoncepcional e aumento da queda de cabelo
28 de maio de 2012

As mulheres por conta de seus ciclos menstruais são mais sensíveis à flutuação dos hormônios do que os homens. Também têm como um de seus hábitos o uso de medicações para contracepção e terapias de reposição hormonal, situações que não são uma realidade para os homens.
É comum observarmos mulheres que se queixam de quedas de cabelos após a pausa no uso de contraceptivos, terapias hormonais na menopausa e até mesmo após o uso de pílula do dia seguinte. Esta situação é frequente e está relacionada a três fatores em especial.
Em primeiro lugar, ao fato de que mulheres que nunca tiveram problemas hormonais prévios precisam de um tempo para readaptar seus organismos ao novo estado hormonal que lhe é imposto com a ausência do hormônio das pílulas anticoncepcionais.
Em segundo, temos a situação que envolve as mulheres que tinham história de alterações hormonais prévias ao uso da pílula, sendo a síndrome dos ovários policísticos a situação mais frequente.
E, por fim, a menopausa, que nada mais é do que um momento da vida da mulher em que a produção dos hormônios sexuais femininos sofrem um permanente declínio. Quando se faz terapia de reposição hormonal o principal objetivo é melhorar a qualidade de vida das mulheres que sofrem com os sintomas da menopausa.
Nos três casos, a readaptação do organismo com a pausa da pílula/terapia de reposição hormonal poderá gerar queda de cabelos. No primeiro exemplo porque o organismo terá de recuperar seu estado natural levando um tempo de dois a quatro meses para isso. No segundo exemplo, porque nas mulheres com alteração hormonal a pílula corrige parcialmente o problema e a parada da mesma favorece o reaparecimento do quadro de alteração hormonal. E por último, como na menopausa a produção dos hormônios femininos é mais baixa a terapia de reposição hormonal mantém níveis de hormônios femininos mais adequados. A parada da terapia de reposição favorece uma queda abrupta dos mesmos gerando a queda de cabelos.
A tendência das mulheres citadas no primeiro caso é ter uma queda capilar passageira e que se resolve por si só. Nas mulheres com problemas hormonais prévios há um risco da queda surgir e se manter se não for tomada nenhuma medida de correção dos hormônios. Por fim, na menopausa a terapia hormonal é uma colaboradora imensa do controle da queda capilar.
Discutir com o médico uma alternativa para o tratamento da queda capilar em situações como estas é fundamental. É importante lembrar que a saúde de todos nós passa por estarmos bem física e emocionalmente, e a queda de cabelos é algo que trás muita ansiedade às mulheres. Logo, a conversa com o médico sobre o problema caso venha a aparecer é sempre essencial.

www.ademirjr.com.br

SHARE

  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
    Comentários Blogger
    Comentarios Facebook