Dietas rigorosas como motivo para queda capilar

Dietas rigorosas como motivo para queda capilar
8 de fevereiro de 2011

Os argumentos sobre o impacto da alimentação na queda de cabelos é algo que nem sempre convence os pacientes. Certamente é mais fácil comer o que se gosta do que o que se precisa. Isso torna nossa alimentação cada vez mais deficiente e, de certa forma, até perigosa, pois exageros em alguns tipos de alimentos e pouca ingestão de outros pode ser o motivo de diversas doenças (hipertensão arterial, dislipidemias e diabetes são alguns exemplos).

No que diz respeito aos cabelos, para nossos fios o fato de se comer de forma inadequada é muito prejudicial. Como estruturas sensíveis que são, os cabelos normalmente sofrem com mudanças bruscas de hábitos alimentares, entre elas as que envolvem dietas rigorosas e malucas, que são seguidas por uma infinidade de pessoas por conta de modismos ou até mesmo imposições sociais da mídia que cobra corpos magérrimos como estereótipo de beleza.

Desde a década de 70, pesquisas confirmam que dietas rigorosas provocam queda de cabelos. Em busca de informações relevantes para uma pesquisa que venho fazendo sobre cuidados alimentares e cabelos, encontrei um artigo que me chamou muito a atenção. Primeiro por ser de uma revista muito conhecida, o JAMA - Journal of the American Medical Association, e segundo, porque condiz com a grande maioria dos casos que vemos de restrições alimentares severas.

Na avaliação de nove pacientes apresentados pelos autores, a restrição calórica rigorosa e, consequentemente a suplementação insuficiente de energia (proveniente das calorias alimentares), inibiu a atividade das células da matriz dos cabelos (região que promove o crescimento dos fios), favorecendo a queda capilar após dois a cinco meses do início da restrição alimentar.

Para quem já sabe da importância dos alimentos como fontes de nutrição para os cabelos pode parecer que este artigo é simplista. Mas para quem vivencia a experiência de ver pacientes diariamente relatando que comem mal, que deixam de comer alimentos considerados importantes para a saúde como um todo, assim como para quem reconhece que a população tem mais facilidade de acesso a alimentos processados do que de origem natural, fica evidente que muitas das quedas de cabelo que chegam à clínica estão associadas à alimentação inadequada.

As dietas ditas “milagrosas” anunciadas por muitas revistas, as dietas malucas que alguns pacientes fazem por conta própria e o uso indevido e inadequado de laxantes como forma de esvaziar mais rapidamente o trato digestivo, reduzindo a absorção de nutrientes de alimentos ingeridos, podem se enquadrar no perfil de promotores de problemas capilares.

Por último, casos de anorexia e bulimia podem estar associados a quedas capilares. Posso garantir que pacientes que sofrem destas condições percebem cabelos mais fracos, mais ralos e com alterações em seu crescimento (crescem muito menos do que o normal).

Tratar dos erros e restrições alimentares é parte importante do tratamento capilar. Comer de maneira equilibrada e de acordo com as necessidades individuais sempre fez bem para a saúde como um todo. Podem ter certeza que comendo adequadamente os cabelos também agradecem.

Referências:
Goette DK, Odom RB. Alopecia in Crash Dieters. JAMA. 1976;235:2622-2623.


SHARE

  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
  • Image
    Comentários Blogger
    Comentarios Facebook